Quinta-feira, 16 de Julho de 2009
Rádio Blog: ASAE

 

As lutas de animais foram tema de debate ao longo dos últimos dias. Em vésperas de fim-de-semana ouvimos os comentários de todos...

 

com Carla Hilário Quevedo e Antonieta Lopes da Costa

6ªf, 17 de Julho- 10.35/ 19.35

Domingo, 19 de Julho- 18.35

 

Entretanto, e antes das férias, temos novo desafio de Carla Hilário Quevedo em parceria com o jornal Meia Hora. Deixe-nos a sua opinião aqui ou através do 21.351.05.90.

 

ASAE

Sou das poucas pessoas neste País que respeita o trabalho da Autoridade para a Segurança Alimentar e Económica. A acção da ASAE é essencial à protecção dos direitos dos consumidores. Ninguém se opõe ao encerramento de restaurantes com cozinhas imundas e supermercados que vendem carne podre. No entanto, a minha estima é posta à prova sempre que este respeitável organismo ensandece. Por exemplo, quando prende pessoas em rusgas a feiras, proíbe o uso de colheres de pau nos restaurantes ou escrutina bolas de Berlim nas praias. Os excessos da ASAE correm agora o risco de ser considerados inconstitucionais. O Tribunal da Relação considerou que o organismo não podia funcionar como uma polícia criminal. Ou seja, não tinha poderes para fazer detenções nem escutas telefónicas. Se o Tribunal Constitucional confirmar a decisão da Relação, muitos dos casos da competência da ASAE vão deixar de ter qualquer validade e as decisões podem vir a ser anuladas. Independentemente dos casos bem resolvidos ou absurdos protagonizados pela ASAE, a sua acção foi posta em causa. Concorda com a existência deste organismo tal como existe? No caso de ser inconstitucional, deverá todo o trabalho ir para o lixo? Que caso da ASAE achou mais ridículo e qual lhe pareceu o mais bem resolvido?



publicado por jazza-me
link do post | comentar | ver comentários (7)

Sexta-feira, 10 de Julho de 2009
Rádio Blog: Lutas de animais

                                                                          (imagem daqui)

 

Em final de semana debatemos os Portugueses e os estudos sobre as nossas características- o tema proposto por Carla Hilário Quevedo em parceria com o jornal Meia Hora.

 

Com Carla Hilário Quevedo e Antonieta Lopes da Costa

6ªf, 10 de Julho- 10.35/ 19.40

Domingo, 12 de Julho- 18.35

 

As Lutas de Animais é o desafio que propomos para os próximos dias. Deixe-nos a sua opinião mais abaixo ou através do 21.351.05.90.

 

Lutas de animais

A proposta de lei que vai responsabilizar criminalmente os donos de cães perigosos pelos seus ataques foi aprovada em Conselho de Ministros. O diploma permite desta forma «criminalizar os comportamentos correspondentes à promoção ou participação em lutas de animais, bem como a ofensa à integridade física causada por animal perigoso ou potencialmente perigoso, por dolo ou negligência do seu detentor». As penas podem ir até aos dez anos de prisão. Mas a votação deste diploma não reuniu tanto consenso como se esperaria. Toda a esquerda e o deputado Mendes Bota do PSD votaram a favor do documento, enquanto o PSD e o CDS se abstiveram. Esta abstenção foi notada com estranheza por Miguel Esteves Cardoso, no Público. Qual seria afinal o motivo para votar assim? Não é preciso muito para concluirmos que a proibição de lutas de animais e a condenação daqueles que instigam os cães à violência são medidas necessárias. O diploma parece do mais puro bom senso a qualquer pessoa, à excepção daqueles que treinam cães para a luta. Porque é que não pareceu importante aos partidos de direita dar uma opinião mais convicta sobre esta matéria? Como se podem opor a uma regulamentação que tem directamente a ver com a segurança de todos, inclusivamente dos próprios animais?



publicado por jazza-me
link do post | comentar | ver comentários (7)

Sexta-feira, 3 de Julho de 2009
Rádio Blog: Estudos sobre os Portugueses

                                                                             Mapa de 1870 (daqui)

 

Esta manhã ouvimos as opiniões dos ouvintes sobre Denúncia e Responsabilidade, o tema da semana que agora termina...

 

Com Carla Hilário Quevedo e Antonieta Lopes da Costa

6ªf, 3 de Julho- 10.35/ 19.40

Domingo, 5 de Julho- 18.35

 

Nos próximos dias queremos saber a sua opinião sobre os Portugueses. O texto abaixo vem assinado por Carla Hilário Quevedo e é publicado aqui em parceria com o jornal Meia Hora. Deixe o seu comentário aqui ou através do 21.351.05.90.

 

Estudos sobre os portugueses

Dois estudos recentes sobre os portugueses revelam resultados mais ou menos surpreendentes. O primeiro confirma um conhecimento ancestral sobre nós: somos pobres mas felizes. O segundo surpreende porque entra em contradição com o anterior: estamos mais individualistas, somos menos preconceituosos e não dávamos a vida por ninguém. Não sei como se chega a estas conclusões nem como são elaborados estes estudos, mas se me pedem para acreditar, eu acredito. Pobres e contentes é engraçado mas assim não vamos lá. Talvez seja hora de aceitarmos que uma dose saudável de infelicidade em troca de mais bem-estar material não é um pecado mortal. A esperança, aliás, está no resultado do segundo teste. O individualismo só faz mal a quem não o sabe usar. Não é por querermos ser autónomos que somos necessariamente uns egoístas insensíveis aos males do mundo. O curioso é que o diabolizado individualismo parece trazer consigo uma maior tolerância. Ora, afinal, o que vale mais? Pertencer ao mundo e ser intolerante ou perceber que só podemos dar aos outros se tivermos alguma coisa para dar? Quanto à peculiar questão de dar a vida por alguém, temos felizmente grandes avanços na medicina e já não há guerras que o justifiquem. Concorda com as conclusões destes estudos? Como vê os portugueses?



publicado por jazza-me
link do post | comentar | ver comentários (3)

Sexta-feira, 26 de Junho de 2009
Rádio Blog: Denúncia e responsabilidade

                                                                       (imagem daqui)

 

A justiça portuguesa face às crianças de mães adolescentes foi tema da semana que agora termina. Hoje ouvimos os comentários de todos...

 

... com Carla Hilário Quevedo e Antonieta Lopes da Costa

6ªf, 26 de Junho- 10.35/ 19.40

Domingo, 28 de Junho- 18.35

 

A denúncia de casos de abusos de menores, e a responsabilização dos culpados, é tema de debate para os próximos dias. O texto, publicado em parceria com o jornal Meia Hora, é de Carla Hilário Quevedo. Deixe-nos a sua opinião até às 16h da próxima 5ªf.

 

Denúncia e responsabilidade

O juiz-conselheiro Armando Leandro, presidente da Comissão Nacional de Protecção de Crianças e Jovens em Risco, na sequência da detenção de um elemento da Comissão por suspeitas de ter abusado sexualmente de um jovem de 16 anos que se encontrava a seu cargo, afirmou que «noticiar alegados casos de abusos a menores é um reflexo positivo de uma maior interiorização do dever de respeitar a autodeterminação sexual dos menores». Segundo o juiz-conselheiro, a divulgação deste tipo de casos pela comunicação social é «salutar», porque é um sinal de que a gravidade destes actos e das suas consequências está aos poucos a ser interiorizada. Armando Leandro referiu que «temos de ter consciência de que os predadores sexuais podem existir em qualquer quadro, em qualquer situação» e notou que «por vezes são pessoas que não imaginávamos» as que cometem os crimes. Estas afirmações dão que pensar. Integrado numa Comissão especializada na protecção de menores haveria um criminoso. O juiz-conselheiro pode considerar salutar que os jornais publiquem estas notícias, mas não explica como um caso destes pode acontecer na dita Comissão. Notícias de abusos a menores podem ajudar a detectar pedófilos? Instituições com menores a cargo devem ser responsabilizadas pelos crimes dos seus funcionários?



publicado por jazza-me
link do post | comentar | ver comentários (5)

Sexta-feira, 19 de Junho de 2009
Rádio Blog: Mães adolescentes

                                                                      

Este fim-de-semana ouvimos os comentários de (quase) todos ao tema da semana que agora termina: a extrema-direita na União Europeia.

 

Com Carla Hilário Quevedo e Antonieta Lopes da Costa

6ªf, 19 de Junho- 10.35/ 19.40

Domingo, 21 de Junho- 18.35

 

Para os próximos dias já temos novo tema de debate: as mães adolescentes e a justiça, a propósito do menino Martim e da sua mãe, Ana Rita Leonardo. O texto, que publicamos aqui em parceria com o jornal Meia Hora, é assinado por Carla Hilário Quevedo.

 

Mães adolescentes

A 26 de Fevereiro de 2007, as assistentes sociais de Cascais levaram o Martim para Refúgio Aboim Ascensão, em Faro, alegando que a mãe, Ana Rita Leonardo, de 13 anos, não teria condições para cuidar do filho. A criança entrou na instituição com cerca de dois meses de vida a pedido do tribunal. Em Julho de 2007, foi tomada a primeira decisão judicial no sentido de dar a criança para adopção. Na altura, a família recorreu com sucesso. Mas em Dezembro de 2008, na última visita de Ana Rita, a criança terá ficado emocionalmente perturbada e as visitas foram canceladas. Há seis meses que Ana Rita não vê o filho nem tem notícias dele. A 21 de Maio foi informada de que o Martim seria dado para adopção. Ana Rita, agora com 15 anos, suspendeu a greve de fome que iniciara há dias. O caso suscita várias questões e a primeira é saber se uma rapariga de treze anos é capaz de cumprir os seus deveres de mãe. Se no início Ana Rita duvidou, agora parece ter reunido as condições que lhe permitem cuidar do filho. Resta saber se a ordem do tribunal pode ser anulada. Estamos de novo perante um caso em que a celeridade do processo é decisiva. Uma mãe de treze anos é capaz de tomar uma decisão correcta? A justiça portuguesa tem a capacidade para decidir sobre o benefício da criança?



publicado por jazza-me
link do post | comentar | ver comentários (6)

Quinta-feira, 4 de Junho de 2009
Rádio Blog: Susan Boyle

 

 

Chegados a sexta-feira ouvimos as opiniões de todos sobre o caso de Alexandra Tsyklauri, a menina que foi entregue recentemente à família biológica russa.

 

Com Carla Hilário Quevedo e Antonieta Lopes da Costa

6ªf., 5 de Junho- 10.35

Domingo, 7 de Junho- 18.35

 

Nos próximos dias queremos saber a sua opinião sobre o caso da inglesa Susan Boyle, que participou no concurso televisivo Britain's Got Talent. O texto é assinado por Carla Hilário Quevedo e publicado aqui em parceria com o jornal Meia Hora. Os comentários podem ser feitos através do 21.351.05.90 ou mais abaixo.

 

Susan Boyle

A inglesa Susan Boyle, de 47 anos, viu a sua vida pacata e anónima mudar de um dia para o outro quando alguém a convenceu de que faria lindamente em participar no concurso Britain’s Got Talent. Alguma prima perversa terá insistido que tinha uma voz de rouxinol, omitindo a preciosa informação de que os concursos televisivos de talentos são, acima de tudo, cruéis. O rastilho do YouTube levou Susan Boyle aos lares de todo o mundo, entregando uma pessoa completamente normal, ou nada habituada a qualquer tipo de exposição, às garras maldosas dos juízos e comentários mordazes. No meio deste caos de avaliações talvez o mais destrutivo tenha sido a expectativa criada em torno do fenómeno Boyle. O triunfo do talento apesar do duplo queixo parecia ser a prioridade. A vitória de Susan Boyle significaria a derrota das Britneys de cana rachada. Felizmente, o povo é frívolo e votou contra Susan; salvando-a, de certa forma. Os quinze minutos de fama resultaram num esgotamento logo após a notícia do segundo lugar. Susan Boyle acabou no hospital. Como, aliás, qualquer pessoa que se preze em circunstâncias semelhantes. Susan Boyle é só um caso limite do que se passa com a maioria das estrelas ascendentes em concursos deste tipo? A televisão destrói as pessoas normais?



publicado por jazza-me
link do post | comentar | ver comentários (8)

Quinta-feira, 14 de Maio de 2009
Rádio Blog: Bela Vista

                                                                           (imagem daqui)

 

A política em Portugal foi tema de discussão, na semana que agora termina, e os comentários de todos ouvem-se amanhã...

 

Com Carla Hilário Quevedo e Antonieta Lopes da Costa

6ªf., 15 de Maio- 10.35

Domingo, 17 de Maio- 18.35

 

Nos próximos dias queremos saber o que pensa dos distúrbios em locais como o Bairro da Bela Vista. O texto que aqui publicamos, em parceria com o jornal Meia Hora, é de Carla Hilário Quevedo. Dê-nos a sua opinião mais abaixo ou através do 21.351.05.90, até às 16h de 5ªf.

 

Bela Vista

A 29 de Abril, depois de um carjacking em Palmela, Toninho Tchibone, de 23 anos, e o gangue fugiram para o Alvor, onde tencionavam roubar uma caixa de Multibanco. Mas o assalto correu mal e o jovem foi baleado na cabeça pela GNR. Morreu poucos dias depois no Hospital de São José, em Lisboa. Toninho morava no conhecido bairro da Bela Vista em Setúbal. Após o seu funeral, mais de 200 pessoas dirigiram-se para a PSP local e de imediato começaram as provocações, com carros e motos a passar em alta velocidade à porta da esquadra e pedras a serem atiradas à Polícia. Por causa da confusão instalada e do número concentrado de pessoas, setenta agentes foram destacados para montar protecção ao local. Momentos depois de as mais cerca de duas centenas de moradores terem dispersado, e de parecer que os tumultos tinham chegado ao fim, cocktails molotov caíram dos prédios em cima dos carros da Polícia. A guerra voltou ao bairro. Este foi o cenário violento da Bela Vista nos últimos dias. Há dois diagnósticos comuns para estes distúrbios: uns defendem que as causas são sociais, outros que são criminais. Qual é a sua opinião? Uma vez que é da responsabilidade do Estado zelar pela segurança dos cidadãos, porque é que a opinião pública tão poucas vezes apoia as forças de segurança?



publicado por jazza-me
link do post | comentar | ver comentários (8)

Quinta-feira, 30 de Abril de 2009
Rádio Blog: Feira do Livro

                                                                        (imagem daqui)

 

O elogio da beleza natural é uma moda? As capas da edição francesa da revista Elle, de Abril, deram o mote ao tema da semana, em proposta de Carla Hilário Quevedo. Amanhã, apesar de feriado, ouvimos os comentários de todos.

 

Com Carla Hilário Quevedo e Betânia Valente

6ªf., 1 de Maio- 10.35

Domingo, 3 de maio- 18.35

 

A 79ª edição da Feira do Livro, aberta ao público até 17 de Maio, é o desafio dos próximos dias, em parceria com o jornal Meia Hora. Queremos saber se visita a Feira, se compra livros, se se interessa pelas actividades programadas, se lhe agradam os novos horários. As opiniões que nos chegarem até 5ªf, às 16h, através do 21.351.05.90 ou mais abaixo, ouvem-se à 6ªf, pela manhã.

 

Feira do Livro

Um pouco mais cedo que o costume, entre 30 de Abril e 17 de Maio, e com uma imagem renovada, Lisboa recebe a septuagésima nona edição da Feira do Livro. Mantendo o local, o Parque Eduardo VII, a grande mudança este ano diz respeito às horas de abertura e fecho. Entre segunda e quinta, as barraquinhas da Feira abrem do meio-dia e meia às oito e meia da noite. Entre sexta e domingo, o horário estende-se até às onze da noite. Em vez do habitual passeio depois do jantar, há que almoçar pelo Parque e comprar livros para a sobremesa. Outra diferença digna de nota é a presença da Feira do Livro no Facebook e no Twitter. No site e no blogue prometem estar disponíveis informações sobre a Feira, tais como sessões de autógrafos e livros do dia. O convidado de honra desta edição é o Brasil, país ao qual é dedicada uma Praça a que se juntam dois pavilhões, onde se realizam actividades promovidas pelo Ministério da Cultura do Brasil e pela Câmara Brasileira do Livro. Só espero que o renovado projecto inclua mais esplanadas ou locais para esticar as pernas e pousar os sacos dos livros entretanto adquiridos em cada barraquinha. Tem por hábito visitar a Feira do Livro? O que pensa do novo horário? Aproveita a Feira para comprar mais livros ou a diferença de preços não é significativa?



publicado por jazza-me
link do post | comentar | ver comentários (5)

Quinta-feira, 23 de Abril de 2009
Rádio Blogue: Beleza natural

 

No próximo dia 7 de Junho somos chamados a participar nas Eleições Europeias. A importância desta votação foi tema de debate da última semana; amanhã é dia de ouvirmos os comentários de todos...

 

Com Carla Hilário Quevedo e Antonieta Lopes da Costa

6ªf., 24 de Abril- 10.35

 

A beleza natural, a propósito da sessão fotográfica de Peter Lindbergh com Monica Belluci, Sophie Marceau e Eva Herzigova, é o desafio dos próximos dias. Como sempre, o texto é assinado por Carla Hilário Quevedo e publicado aqui em parceria com o jornal Meia Hora. As opiniões que nos chegarem (através do 21.351.05.90 ou por escrito) até 5ªf, às 16h, ouvem-se no programa de sexta-feira.

 

Beleza natural

A Elle francesa fez este mês três capas diferentes com Monica Bellucci, Eva Herzigova e Sophie Marceau sem um grãozinho de pó-de-arroz no rosto. As modelos apareceram de cara lavada e pouco penteadas numa edição dedicada ao elogio da beleza natural. Em vez de se recorrer a manequins de dezoito anos, a produtos de maquilhagem sofisticados e a maquilhadores e cabeleireiros experientes, o objectivo foi fotografar estas mulheres como se tivessem acabado de acordar. A técnica utilizada na reportagem consistiu em maquilhar as três modelos, como acontece em qualquer sessão fotográfica, tendo a maquilhagem sido removida com uma loção antes de a câmara começar a disparar. A loção desmaquilhante foi, segundo afirmou Peter Lindbergh, uma das responsáveis pela pele brilhante das três principais fotografadas para esta edição de Abril. É certo que a beleza não depende de batons mas também não depende de loções. São três mulheres muito bonitas: com ou sem «rouge», «anti-cernes» ou cremes especiais. Qual pode ser o objectivo da revista em promover um «look» sem retoques? As leitoras vão confiar no que vêem? Há lugar para preconceitos contra um excesso de beleza inalcançável promovido antes de mais pelas próprias revistas femininas? Ou a beleza natural é só mais uma moda?



publicado por jazza-me
link do post | comentar | ver comentários (5)

Quinta-feira, 16 de Abril de 2009
Rádio Blogue: Eleições Europeias

                                                                       (imagem daqui)

 

A comunicação em tribunal foi tema de discussão nos últimos dias, numa proposta de Carla Hilário Quevedo em parceria com o jornal Meia Hora. Amanhã ouvimos os comentários que nos chegaram por escrito e por telefone.

 

Com Carla Hilário Quevedo e Antonieta Lopes da Costa

6ªf., 17 de Abril- 10.35

 

A partir de agora pode dar-nos a sua opinião sobre as Eleições Europeias do próximo dia 7 de Junho. Vai votar? Interessam-lhe as decisões de Estrasburgo e Bruxelas? Deixe-nos o seu comentário mais abaixo ou através do 21.351.05.90 até 5ªf.

 

Eleições Europeias

As eleições de dia 7 de Junho têm por objectivo eleger os representantes de cada estado-membro no Parlamento Europeu. Se é verdade que no passado este acto eleitoral tem sido muito pouco participado, é igualmente certo que este ano as propostas de candidatos anunciam uma diferença assinalável. O PS apresenta Vital Moreira, Paulo Rangel é a escolha de Manuela Ferreira leite para liderar a lista do PSD, e Nuno Melo, Diogo Feio e Teresa Caeiro são as propostas do CDS/PP. Pessoas menos conhecidas dos portugueses podem representar a lufada de ar fresco de que a política precisa e que os cidadãos cada vez mais exigem. A fraca participação dos cidadãos nas eleições europeias significa que os portugueses não se identificam com o que se passa nos corredores de Bruxelas e Estrasburgo. Mas o responsável apontado em sondagens recentes pela falta de empatia do eleitorado português com a União Europeia é o desconhecimento do que se faz no Parlamento Europeu. Não há falta de informação sobre a União Europeia, mas uma ausência preocupante de debate sobre a Europa, além de uma falta de curiosidade sobre as instituições que servem os contribuintes europeus. A que se deve este desinteresse? Porque é que a abstenção nestas eleições ganha sempre? Vai votar no dia 7 de Junho?



publicado por jazza-me
link do post | comentar | ver comentários (3)

Sexta-feira, 10 de Abril de 2009
Rádio Blogue: Imprensa em tribunal

                                                                           (imagem daqui)

 

Esta manhã ouvimos as opiniões dos ouvintes sobre o litígio entre Luís e Cristina a propósito do Euromilhões...

 

Com Carla Hilário Quevedo e Antonieta Lopes da Costa

6ªf., 10 de Abril- 10.35

Domingo, 12 de Abril- 18.35 (redifusão)

 

E para os próximos dias já temos mais um tema, proposto por Carla Hilário Quevedo em parceria com o jornal Meia Hora: a imprensa em tribunal. Deixe-nos o seu comentário mais abaixo ou através do 21.351.05.90. As opiniões que nos chegarem até 5ªf, às 16h, ouvem-se sexta, pela manhã.

 

Imprensa em tribunal

Depois da transmissão na TVI do vídeo em que Charles Smith chamava «corrupto» a José Sócrates, o primeiro-ministro «deu indicações ao seu advogado para agir judicialmente contra a estação». Poucos dias depois, Sócrates processava o jornalista João Miguel Tavares, por causa de um artigo de opinião publicado no Diário de Notícias. Entretanto, aparece no Twitter e em vários blogues a notícia de que Sócrates terá processado o director do Público, José Manuel Fernandes, e Paulo Ferreira e Cristina Ferreira do mesmo jornal. O denominador comum em todos os processos é o caso Freeport. Também Alberto Costa manifestou a intenção de processar o Sol por causa de uma notícia avançada pelo jornal de que o ministro da Justiça teria feito pressões sobre Lopes da Mota, que teria por sua vez pressionado os magistrados responsáveis pelas investigações do caso Freeport. No passado mais remoto, José Sócrates apresentou uma queixa-crime contra o autor do blogue Do Portugal Profundo, António Balbino Caldeira. O primeiro-ministro está demasiado preocupado com a sua imagem ou temos uma imprensa selvagem? Os jornalistas portugueses excedem os limites ao ponto de justificar acções judiciais da parte do chefe do governo? José Sócrates faz bem em processar jornalistas e órgãos de comunicação social?



publicado por jazza-me
link do post | comentar | ver comentários (5)

Sexta-feira, 27 de Março de 2009
Rádio Blogue: Final da Taça da Liga

 

Hoje ouvimos a opinião dos ouvintes sobre a posição oficial da igreja católica relativamente ao uso do preservativo, a propósito da visita do Papa Bento XVI a África.

 

Com Carla Hilário Quevedo e Antonieta Lopes da Costa

6ªf., 27 de Março- 10.35

Domingo, 29 de Março- 18.35 (redifusão)

 

A partir deste momento pode já dar-nos a sua opinião sobre a arbitragem, as reacções e a atenção dada ao final da Taça da Liga, que opôs o Benfica e o Sporting, no passado fim-de-semana, em Faro. O texto de Carla Hilário Quevedo é publicado aqui em parceria com o jornal Meia Hora. Faça o seu comentário mais abaixo ou através do 21.351.05.90, até 5ªf!

 

Final da Taça da Liga

Durante uma semana quase não se falou de outra coisa. O Benfica ganhou a Taça da Liga graças a um erro de arbitragem de Lucílio Baptista, que assinalou um penálti inexistente contra o Sporting, levando o jogo ao empate. Como uma final não pode acabar com o resultado um a um, seguiu-se o desempate por meio da marcação de grandes penalidades. A vitória do Benfica baseou-se assim numa injustiça inicial que provocou outra situação igualmente injusta, que é o desempate não por destreza e força mas pelo maior número de chutos na bola que entram na baliza. Há em qualquer jogo uma componente de acaso e sorte e, por muito trabalho e esforço da parte dos jogadores de futebol, nem tudo depende da sua competência. Se o árbitro comete um erro, deve qualquer outra pessoa no mundo sentir-se mal por isso? O próprio árbitro ou juiz de linha estão livres de se enganar? Por muito sofisticados que sejam os avanços da tecnologia, o futebol continua a ser jogado e arbitrado por seres humanos. Que também se dedicam a comentar os jogos mal jogados ou erradamente arbitrados. Foi o que aconteceu durante a semana que passou. O erro de Lucílio Baptista justifica a atenção e o tempo dos media dedicados ao assunto? É normal que o futebol ocupe a maior parte dos noticiários?



publicado por jazza-me
link do post | comentar | ver comentários (2)

Quinta-feira, 12 de Março de 2009
Rádio Blog: Metrossexuais

                                                                       David Beckham (fotodaqui)

 

Como combater o desânimo face à crise era o tema da semana no Rádio Blog (leraqui) e amanhã contamos com Carla Hilário Quevedo na rádio para ouvirmos as sugestões de quem nos escreveu.

 

Com Carla Hilário Quevedo e Antonieta Lopes da Costa

6ªf., 13 de Março- 10.35

 

Entretanto pode começar a escrever-nos, mais abaixo, ou ligar-nos para o 21.351.05.90 e deixar-nos a sua opinião sobre os Metrossexuais. O texto que publicamos aqui, em parceria com o jornal Meia Hora, é da autoria de Carla Hilário Quevedo, como sempre.

 

Metrossexuais

Por causa de uma reportagem na SIC sobre metrossexuais, dei por mim a pensar que o sexo masculino caminha depressa para a extinção. Caras senhoras e meninos, vivemos num mundo em que rapazolas de vinte e poucos anos arranjam as sobrancelhas. Se este não é um sinal bem claro da decadência do sexo oposto, vou ali comer uma mioleira de vaca e já venho. Aos que afirmam que os homens devem ter cuidados especiais com o corpo, ir à depilação, à pedicure, cuidar da pele, com máscaras e «peelings», só posso concordar que ser mulher é muito divertido, sim. Mas será que estes homens de pés arranjadinhos tratam bem as mulheres? Em vez de acertar as sobrancelhas não deviam antes emendar as maneiras? Tive saudades de uma época recente em que um homem era ridicularizado se ia a um cabeleireiro cortar o cabelo, em vez de ir ao barbeiro. Talvez a ideia errada de que um homem, para o ser, tinha de se apresentar como um brutamontes barrigudo tenha levado a este estado de coisas muito lamentável. Entre a depilação integral e a contagem minuciosa das calorias ingeridas, os metrossexuais não suscitam nenhuma curiosidade; pelo contrário, são tidos como invasores em território feminino. O que leva um rapaz a preocupar-se com cutículas e pilosidade a mais? Já não há homens?



publicado por jazza-me
link do post | comentar | ver comentários (11)

Quinta-feira, 5 de Março de 2009
Rádio Blog: como combater o desânimo em época de crise?

 

                                                                      (imagem daqui)

 

Amanhã ouvimos os comentários sobre Jade Goody, uma ex-participante polémica de um reality show. Jade está na fase terminal de um cancro e decidiu vender os direitos de transmissão dos seus últimos dias de vida a uma cadeia de televisão.  Assim pode assegurar um futuro mais recheado para os dois filhos...

 

Com Carla Hilário Quevedo e Filipa Paramés

6ªf., 6 de Março - 10h35

 

O que fazer?

O Presidente do Grupo Jerónimo Martins, Alexandre Soares dos Santos, em entrevista à SIC Notícias, afirmou que a Polónia em breve ultrapassará Portugal no ranking de crescimento dos países da União Europeia. A explicação que apresentou para um fenómeno que julgaríamos impossível até há bem pouco tempo é simples: os polacos são muito determinados, trabalham em conjunto pelo desenvolvimento do país e querem viver melhor. Alexandre Soares dos Santos, dando provas de lucidez, bom senso e patriotismo, referiu ainda que os portugueses gostam de trabalhar mas que muitas vezes não são reconhecidos monetariamente no seu trabalho, além de não serem incentivados a melhorar nas suas actividades. Uma pessoa que ganhe o salário mínimo sem nenhuma perspectiva de aumento muito dificilmente tem motivação na sua vida. O conhecido desânimo português é um problema real e não se dissocia de uma questão prática: se as empresas não estimulam os trabalhadores não há nada por que progredir. Criar em si próprio o brio e a perseverança necessários à melhoria, tanto pessoal como do país, passa também por ganhar salários mais altos e mais incentivos. Como podem os empresários combater o desânimo e incentivar as pessoas numa época de crise profunda?

 

O texto de Carla Hilário Quevedo é publicado aqui e no jornal Meia Hora. Deixe o seu comentário neste post ou através do 21.351.05.90 até às 16h da próxima 5ªf.



publicado por jazza-me
link do post | comentar | ver comentários (6)

Quinta-feira, 26 de Fevereiro de 2009
Rádio Blog: Jade Goody

                                                                       Jade Goody (foto Wikipédia)

 

Amanhã ouvimos finalmente os comentários sobre Pecados Mortais, a propósito de um estudo levado a cabo pelo Vaticano e publicado no jornal L'Osservatore Romano.

 

Com Carla Hilário Quevedo e Betânia Valente

6ªf., 27 de Fevereiro- 10.35

 

Ao longo dos próximos dias queremos saber o que pensa do caso Jade Goody. O texto de Carla Hilário Quevedo, publicado aqui em parceria com o jornal Meia Hora, pode ser comentado mais abaixo ou através do 21.351.05.90 até às 16h da próxima 5ªf.

 

Jade Goody

A estrela do «reality-show» Big Brother, Jade Goody, de 27 anos, ficou célebre por proferir comentários racistas sobre uma participante indiana. Até há bem pouco tempo, era apenas conhecida do público britânico, mas o seu nome ultrapassou fronteiras com a notícia de que estava a morrer. A primeira notícia de que sofria de cancro do colo do útero foi anunciada ao vivo na televisão em Agosto do ano passado. Quando recentemente soube que lhe restavam poucas semanas de vida, Jade vendeu os direitos de transmissão do seu casamento ao canal televisivo que a tornou famosa. Na altura correu o boato de que também teria vendido os direitos de transmissão da sua morte. O rumor acabou por ser desmentido pelo seu agente, Max Clifford, que, em declarações ao Guardian afirmou que “há limites de realismo na tele-realidade”; e que, à excepção de uma entrevista à ITV, Jade Goody tenciona passar os últimos dias de vida longe das câmaras. As oitocentas mil libras ganhas com os direitos de transmissão da boda e o exclusivo das fotografias garantem o futuro dos seus dois filhos. Entretanto, mais mulheres fizeram testes de prevenção ao cancro do colo do útero. Isto justifica o aparelho mediático? Se Jade Goody mudar de ideias e decidir morrer em público, é possível não ver nada de mal na decisão?



publicado por jazza-me
link do post | comentar | ver comentários (6)

Quinta-feira, 19 de Fevereiro de 2009
Rádio Blog: Pecados Mortais

                 The Seven Deadly Sins and the Four Last Things, Hieronymous Bosch, 1485

 

Carla Hilário Quevedo está de regresso amanhã para a edição semanal do Rádio Blog, em parceria com o jornal Meia Hora e que tinha como tema, desde 6ªf, 13... as Superstições.

 

Com Carla Hilário Quevedo e Betânia Valente

6ªf., 20 de Fevereiro- 10.35

 

Nos próximos dias queremos saber a sua opinião sobre os Pecados Mortais. Homens e mulheres têm tentações diferentes? E a confissão, já não é uma necessidade? Os comentários que nos chegarem até 5ªf, às 16h, ouvem-se no dia seguinte pela manhã. Basta escrever mais abaixo ou ligar para o 21.351. 05. 90.

 

Pecados Mortais

A BBC noticia os resultados de um estudo levado a cabo pelo Vaticano e publicado no jornal da Santa Sé, L’Osservatore Romano, que indicam que os homens e as mulheres pecam de maneira diferente. Segundo a investigação, as mulheres caem mais na tentação do orgulho, da inveja e da ira, por ordem decrescente; enquanto os homens não resistem à luxúria, à gula e à preguiça. Os restantes pecados não são esquecidos e uma breve consulta aos últimos lugares das respectivas tabelas permite concluir que a preguiça é menos problemática para as mulheres e que os homens não se sentem lá muito incomodados com a avareza. Tendo em conta que os dados foram recolhidos durante a confissão, dificilmente estaremos perante mentiras. De que serviria a um crente mentir no confessionário? A investigação do jesuíta Roberto Busa surge numa altura em que se assiste na Igreja Católica a uma quebra acentuada no número de confissões. De acordo com outro estudo do Vaticano, mencionado na mesma notícia da BBC, “cerca de um terço dos católicos defende que a confissão já não é necessária e um em cada dez devotos considera o sacramento como um obstáculo no seu diálogo com Deus”. Há mesmo pecados femininos e pecados masculinos? O divã do psicanalista substituiu o confessionário?



publicado por jazza-me
link do post | comentar | ver comentários (7)

Quinta-feira, 12 de Fevereiro de 2009
Rádio Blog: Superstições

                                                                         (imagem daqui)

 

A italiana Eluana Englaro faleceu esta semana ao fim de 17 anos em coma vegetativo e de uma longa batalha judicial do seu pai para que fossem desligadas as máquinas que a mantinham viva. As opiniões sobre a Eutanásia são ouvidas amanhã...

 

com Carla Hilário Quevedo e Betânia Valente

6ªf., 13 de Fevereiro- 10.35

 

E coincidindo com o calendário, a partir desta 6ªf., 13, queremos ouvir a sua opinião sobre as Superstições. O texto de Carla Hilário Quevedo lê-se mais abaixo em parceria com o jornal Meia Hora. Os comentários que nos chegarem ao blogue, ou através do 21.351.05.90, até às 16h de 5ªf., são ouvidos na 6ªf., pela manhã.

 

Superstições

A propósito de dias de azar, como a sexta-feira 13, julgo ser oportuno falar sobre superstições. Não deixa de me surpreender que algumas pessoas, dos mais variados extractos sociais, com maior ou menor conhecimento e inteligência, ainda façam uns gestos grandes ou pequenos para neutralizar acontecimentos que pensam trazer malefícios, como o sal que cai acidentalmente sobre a mesa, a escada por baixo da qual evitam passar, ou o malvado gato preto que se cruzou à sua frente. Admira-me que ainda persistam estes antigos temores irracionais. Mas talvez façam parte da nossa tradição. Há nessas crenças quase sempre um antecedente que mais ou menos as justifica. A escada tem que ver com a forca e o enforcado, os gatos com as bruxas e assim por diante. Mas nada disso explica a presença destas superstições no nosso quotidiano. Curiosamente, nunca foram actualizadas. Não acredito que haja alguém que acenda o computador sempre com a mão direita ou que evite passar por baixo de uma escada rolante. Mas, por acaso, já tenho visto pessoas a cruzar os dedos quando reiniciam o computador depois de a máquina ter parado sozinha. Ainda há pessoas supersticiosas? Conhece crendices modernas, mais adequadas aos nossos dias? Se não há superstições novas, devíamos inventá-las?



publicado por jazza-me
link do post | comentar | ver comentários (3)

Quinta-feira, 5 de Fevereiro de 2009
RádioBlog: Eutanásia

                                                                       Eluana Englaro

 

Amanhã voltamos ao encontro com Carla Hilário Quevedo para ouvir os comentários sobre a utilidade e as mais-valias de redes sociais como o Facebook, Twitter e etc.

 

Com Carla Hilário Quevedo e Betânia Valente

6ªf., 6 de Fevereiro- 10.35

 

Como habitualmente temos já um novo tema para debate, nos próximos dias: a Eutanásia, a propósito da italiana Eluana Englaro, que se encontra há dezassette anos em estado vegetativo e no centro de uma polémica sobre a morte assistida. O texto de Carla Hilário Quevedo é publicado aqui em parceria com o jornal Meia Hora. A sua opinião é bem-vinda através do 21.351.05.90 ou mais abaixo, até às 16h de 5ªf.

 

Eutanásia

Eluana Englaro, há dezassete anos em estado vegetativo, foi autorizada pelo Supremo Tribunal italiano a ser transferida para uma clínica privada em Udine, onde será interrompido o sistema de alimentação artificial que a mantém viva. Assim termina a longa batalha judicial do pai, Giuseppe Englaro, que durante quase dez anos defendeu que a vida da filha terminara em 1992, quando, na sequência de um acidente de automóvel, entrou em coma sem possibilidade de recuperação. O Vaticano manifesta-se contra esta decisão jurídica, reclamando que apenas Deus tem o poder de dar e tirar a vida. O mesmo Deus que também deu ao ser humano esta capacidade extraordinária de querer sobreviver a todo o custo e que o levou a fazer descobertas científicas que permitem que pessoas como Eluana Englaro não pereçam quando a sua hora parecia ter chegado. A questão da eutanásia é muito mais complexa e requer uma sensibilidade maior. Sobretudo uma maior compaixão. Em casos irreversíveis como este, e de sofrimento prolongado, é justo afirmar que se trata de um "assassínio abominável", como fez o Cardeal Javier Lozano Barragan ao jornal "La Repubblica"? O que é moralmente mais condenável: assassinar uma pessoa ou permitir uma morte digna a um paciente num estado vegetativo irresolúvel?



publicado por jazza-me
link do post | comentar | ver comentários (15)

Sexta-feira, 23 de Janeiro de 2009
Rádio Blog: Visitas íntimas

                                                                       Bandeira Gay (fotodaqui)

 

Por motivos imprevistos, esta semana não temos a edição semanal do Rádio Blog. Agradecemos a todos quantos participaram com os seus comentários, que ouviremos no próximo programa. Contamos entretanto com as opiniões de todos sobre o tema em debate durante os próximos dias, mais abaixo ou através do 21. 351. 05. 90, até à próxima 5ªf, às 16h. Visitas Íntimas é o tema proposto por Carla Hilário Quevedo em parceria com o jornal Meia Hora.

 

Visitas Íntimas

A partir de agora, os reclusos homossexuais vão passar a poder receber visitas dos seus companheiros, beneficiando assim do mesmo direito dos reclusos heterossexuais. O anúncio da aprovação desta medida em Conselho de Ministros surge pouco depois de o Partido Socialista fazer a promessa eleitoral de reconhecer o casamento civil entre pessoas do mesmo sexo. E assim os homossexuais ganham um renovado interesse por parte dos socialistas. Não esqueçamos que há uns meses o PS votou contra dois projectos-lei sobre este tema, com a desculpa de que se tratava de um assunto que merecia ser debatido na sociedade civil. Com ou sem debate, a orientação sexual de cada um não pode ser motivo de discriminação, porque é um tema privado, que, como tal, só diz respeito aos próprios. Tal como a xenofobia, o racismo, a misoginia e o anti-semitismo, a homofobia é uma forma de divisão irracional. Neste sentido, é exactamente a mesma coisa do que odiar alguém por ter uma opinião diferente da nossa. Posto isto, só um aspecto me causa perplexidade: por que razão se insiste em institucionalizar a homossexualidade? Um casal gay casado merecerá menos recriminações por parte da sociedade? A paz na prisão ganha-se à custa de visitas dos companheiros gay? E se forem vários companheiros?



publicado por jazza-me
link do post | comentar | ver comentários (12)

Quinta-feira, 8 de Janeiro de 2009
Rádio Blog: Amor Eterno

                                                                        (foto daqui)

 

De regresso, neste início de ano, o Rádio Blog traz para debate o estranho caso, ou talvez não, do amor eterno, na sequência das experiências recentes de vários cientistas norte-americanos. O texto, de Carla Hilário Quevedo, é publicado em parceria com o jornal Meia Hora e, como já sabe, pode dar-nos a sua opinião através do 21.351.05.90 ou mais abaixo. Os comentário que nos chegarem até 5ªf, às 16h, serão ouvidos na edição semanal de 6ªf.

 

Amor Eterno

Cientistas norte-americanos resolveram finalmente dedicar-se a um tema inteligível: o amor eterno. A equipa da Universidade Stony Brook, de Nova Iorque, não descobriu o que leva alguns casais a manter a intensidade na paixão durante anos a fio, mas foi capaz de isolar um grupo reduzido de seres humanos que, estando juntos há mais de vinte anos, se comportam como se tivessem acabado de se apaixonar. Por isso, já sabe: se estiver casado há mais de vinte anos e quiser ter uma prova documental da fogosidade da sua paixão, vá até Nova Iorque e deixe que lhe façam uma ressonância magnética enquanto vê fotografias do cônjuge. O "fogo que arde sem se ver", celebrado por Camões, parece que afinal é bem visível do outro lado do Atlântico. O estudo contraria a ideia de que a paixão vai diminuindo ao longo do tempo até que ambos chegam ao dia do tédio absoluto e total. Pelo contrário, os casais capazes de viver uma paixão duradoura nunca se aborrecem. A estes espécimes humanos os cientistas chamaram cisnes, porque são animais monogâmicos. Manter uma relação amorosa toda a vida é uma preocupação nos nossos dias? Visto que não há receitas para a longevidade conjugal, o que valoriza acima de tudo num parceiro? O amor é assim tão irracional como o pintam?



publicado por jazza-me
link do post | comentar | ver comentários (4)

Quinta-feira, 18 de Dezembro de 2008
Rádio Blog: Natal

                                                                    Forum Aveiro, Novembro 2007 (foto daqui)

 

Amanhã é dia de ouvirmos os comentários dos ouvintes ao Absentismo na Assembleia da República, o tema da semana passada, proposto, como sempre, por Carla Hilário Quevedo em parceria com o jornal Meia Hora.

 

Com Carla Hilário Quevedo e Betânia Valente

6ªf., 19 de Dezembro- 10.35

 

Nos próximos dias, e para o último Rádio Blog de 2008, queremos ouvir a sua opinião sobre o Natal. Os comentários podem ser feitos mais abaixo ou através do 21.351.05.90, até ao final da manhã de 3ªf, 23 de Dezembro.

 

Natal

Neste Natal, a Câmara Municipal de Lisboa decidiu ceder alguns espaços públicos a empresas privadas, que ficariam por sua vez encarregues das decorações natalícias. Enquanto promoviam a marca, iluminavam a cidade, o que nem estaria assim tão mal pensado não fosse o péssimo gosto espalhado pelos departamentos de marketing deste país. Alguns centros comerciais, por sua vez, apostaram em poupanças energéticas que noutros anos daria para iluminar 1400 habitações, e o "Natal Verde" chegou às grandes superfícies. A medida de poupança dos centros comerciais justifica-se por causa da grande afluência dos consumidores. As luzes não são feias e ajudam a preservar o ambiente. Nas prateleiras dos brinquedos nos hipermercados sobram agora apenas os mais caros. São as grandes superfícies e não o comércio de bairro que atrai mais pessoas e que tem mais proveitos nesta época festiva. A competição não é difícil; é mesmo impossível. Os presentes são comprados todos ao mesmo tempo, porque assim dá jeito, e as lojas pequenas vêem-se obrigadas a fazer promoções em plena época natalícia. Ganham os clientes, perdem os lojistas. O Natal tem a mesma graça de sempre? Ou tornou-se artificial, uma maçada, e com presentes iguais para todos? Adaptámos o Natal à crise?



publicado por jazza-me
link do post | comentar | ver comentários (6)


Rádio Blog
Carla Hilário Quevedo
Metro - Rádio Europa Lisboa
Tema da semana: Rádio Blogue.
Comente aqui ou em 21 351 05 90.
A sua voz vai para o ar :
6ª feira, 11h35/17h40
Domingo, 18h35






Rádio Europa Lisboa
Rua Latino Coelho, 50 - 1º
1050-137 Lisboa, Portugal
Tel.: 21 351 05 80

Email   Estamos no Facebook   Siga-nos no Twitter
Emissão online:

clique para ouvir a emissão da europa


Rádio Blog
Carla Hilário Quevedo
Metro - Rádio Europa Lisboa
Tema da semana: Rádio Blogue.
Comente aqui ou em 21 351 05 90.
A sua voz vai para o ar :
6ª feira, 11h35/17h40
Domingo, 18h35



POSTS RECENTES

Rádio Blog: ASAE

Rádio Blog: Lutas de anim...

Rádio Blog: Estudos sobre...

Rádio Blog: Denúncia e re...

Rádio Blog: Mães adolesce...

Rádio Blog: Susan Boyle

Rádio Blog: Bela Vista

Rádio Blog: Feira do Livr...

Rádio Blogue: Beleza natu...

Rádio Blogue: Eleições Eu...

Rádio Blogue: Imprensa em...

Rádio Blogue: Final da Ta...

ARQUIVOS
TAGS

todas as tags

blogs SAPO
SUBSCREVER FEEDS