Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

jazza-me muito...

O JAZZ SUBIU-NOS À CABEÇA!

O JAZZ SUBIU-NOS À CABEÇA!

jazza-me muito...

24
Nov08

Discofonia

jazza-me

 

Em finais de 2008, o guitarrista e compositor Afonso Pais vê compensada a sua persistência: 2 anos depois de gravado, o seu projecto Subsequências surge finalmente em disco, com edição da alemã Enja. O novo disco volta a pôr em evidência a coesão do trio de Afonso Pais, com Carlos Barretto e Alexandre Frazão- que também gravou o álbum Terranova, em 2004- e convida o cantor e compositor brasileiro Edu Lobo, para uma série de temas originais que o guitarrista, compositor (e pianista revelado) quis mais próximos do formato canção.

 

Com Mafalda Costa

2ªf., 24 de Novembro- 18h

23
Nov08

100% Francês

jazza-me

       Marina Venache                                                     Loane

 

Esta semana descobrimos novas vozes femininas e os seus discos de estreia: Marina Venache lançou este ano Libellule, com colaborações do cantor e compositor Da Silva e de Christophe Mali, dos Tryo, e que apresenta, nesta altura, numa série de concertos. A outra revelação da pop francesa chama-se Loane e o seu primeiro registo, Jamais Seule, com produção de Fabrice Dumont (Télépopmusik) e Fréderic Fortuny (Autour de Lucie), tem sido bem recebido pelo público.

As vozes femininas, de resto, dominam a edição de hoje, com passagens pelos discos novos de Pauline (Allô le Monde),Rose (Rose), Julianne Deville, da Bélgica, (La Tête dans les Nuages) e de Mylène Farmer, que regressa com o novíssimo Point de Suture.

Uma hora dedicada à francofonia com...

 

Ricardo de Matos

Domingo, 23 de Novembro-16h

22
Nov08

As Vozes do Jazz

jazza-me

      Audra McDonald                           Cuarteto Las d' Aida

 

Da energia pura à sedução do romantismo, as Grandes Canções do Jazz desfilam na Europa-Lisboa, nos serões de sábado. Esta semana ouvimos Audra McDonald, mundialmente popularizada pelo seu papel na série televisiva Clínica Privada. Entre quatro álbuns a solo, participações especiais em mais de 20 outros e quatro Tony Awards, os Óscares do teatro, para melhor actriz numa peça ou musical, a cantora e actriz tem muito mais a revelar. Quatro exemplos das suas abordagens ao Great American Songbook abrem, esta noite, cada uma das horas d'As Vozes do Jazz.

Às meias horas, num regresso ao passado, partimos à (re)descoberta do Cuarteto Las d'Aida, na Cuba da década de 50 do século passado. Então na casa dos 20 anos, Moraima Secada, Elena Burke, Omara Portuondo e a sua irmã Haydée brilhavam em Havana, pela mão de Aida Diestro, no tempo em que as big bands também cantavam em espanhol...

 

Com Ricardo Belo de Morais 

Sábado, 22 de Novembro- das 20h às 24h

22
Nov08

Evasões Francesas

jazza-me

                                                                   Caprichos 42 e 25 de Francisco de Goya

 

Para a última semana de Novembro, o Evasões propõe um encontro com o escritor e historiador de arte José-Augusto França que apresenta duas novas obras: João sem Terra (Presença), que completa, com Ricardo Coração de Leão, o díptico Duas Vidas Portuguesas, e as duas novelas reunidas em O Facadas seguido por A Volta do Facadas (Acontecimento). O Facadas, escrita em 1942 e que tem como personagens centrais vários adolescentes, ficou inédita até hoje; 60 anos mais tarde, a segunda novela leva-nos a descobrir o que foi feito daqueles adolescentes. Os livros são apresentados no Instituto Franco-Português, pelo escritor Urbano Tavares Rodrigues, na próxima 4ªf, 26, às 18.30.

O debate científico deste mês, no Bar des Sciences, toma como tema a Procriação: os Filhos do Amor e da Ciência para uma reflexão sobre o avanço da ciência na reprodução medicamente assistida. Rui Nunes, director do Serviço de Bioética da Faculdade de Medicina do Porto e fundador da Associação Portuguesa de Bioética será o orador, 5ªf, 27, às 19h, no IFP.

O concerto da semana traz-nos obras de Bach, Gérard Pesson, Henri Dutilleux e Domenico Gabrielli pela violoncelista Elena Andreyev, membro do celebrado ensemble Les Arts Florissants, que se dedica à música do Barroco. 6ªf, 28, às 19h, no IFP.

Por fim, em viva recomendação, destaca-se a exposição Caprichos, que inaugura no Museu Colecção Berardo na próxima 5ªf, 27, com intervenções de Manuel Casimiro, pintor, escultor, fotógrafo e designer, e textos do escritor francês Michel Butor, sobre a série de 80 gravuras a que Francisco de Goya chamou Los Caprichos. Criados por Goya após ter contraído uma grave doença que o deixou parcialmente cego e totalmente surdo, em 1792, os Caprichos exploram a condição humana numa época de crise económica e repressão social, denunciando a Inquisição, a corrupção da igreja e da nobreza, a ignorância, o fanatismo e as superstições, entre outros males sociais.

A visão contemporânea de Manuel Casimiro e de Michel Butor sobre a obra de Goya fica patente no Museu Berardo até Fevereiro de 2009 e documentada em livro, publicado pela Tinta-da-China, e com lançamento marcado para 6ªf, 28, às 18h no IFP, com a presença de Michel Butor.

 

Com Jean-Paul Lefèvre e Antonieta Lopes da Costa

(produção de Filipa Paramés)

Sábado, 22 de Novembro- 16h

21
Nov08

Descubra as Diferenças

jazza-me

                                                                      (foto daqui)

 

Debate político em parceria com a Atlântico:

 

Marxismo nunca mais? A Universidade Nova organizou, no fim-de-semana passado, um Colóquio Internacional Karl Marx em que predominou o grupo parlamentar do Bloco de Esquerda, alguns membros do PCP e outras figuras próximas da causa socialista. Há quem tivesse dito que o Marx político se mantém actual e que as suas críticas ao capitalismo continuam a ser pertinentes para avaliar a actual crise financeira internacional. Regresso ao passado em Lisboa... ou Marx deve continuar na gaveta?

 

Ser ou não gafe, eis a questão. Quando menos se esperava, Manuela Ferreira Leite incendiou todas as polémicas. É a frase mais repetida de todo o ano, sobre a extrema dificuldade de se fazer reformas em democracia contra os sindicatos e as corporações: "E até não sei se a certa altura não seria bom haver seis meses sem democracia, mete-se tudo na ordem e depois então venha a democracia". Quem veio abaixo foi o país mediático e as convulsões chegaram ao PSD. Mas será que há razões para tanto alarido?

 

Educação sem avaliação? Depois de meses de braço de ferro entre a Ministra da Educação e os professores, com o Governo a pretender recuar e amenizar o confronto, propondo pela primeira vez o diálogo, os sindicatos tomaram a dianteira e o líder da Fenprof, Mário Nogueira, diz que só negoceia se "esta" avaliação for suspensa. Em casa onde não há educação, todos ralham ou alguém tem razão?

 

Onde estava Obama? Os 20 países mais industrializadas do mundo reuniram-se no sábado em Washington e concordaram em apoiar a economia, aplicando uma nova regulação internacional e reformando a liderança mundial. Durão Barroso e Nicolas Sarkozy dizem esperar colocar as medidas em prática até ao final do ano. Mas Bush ainda foi o representante dos EUA. Será preciso esperar pela posse de Obama como presidente para acreditar nestas conclusões?

 

Regresso do debate a 4, esta semana, com Paulo Pinto Mascarenhas, Antonieta Lopes da Costa e os juristas André Abrantes Amaral e Francisco Proença de Carvalho, ambos bloggers. descubraasdiferencas@radioeuropa.fm

 

6ªf., 21 de Novembro- 18h

20
Nov08

Rádio Blog: Claques de futebol

jazza-me

                                                                      (Foto Isabel Cutileiro)

 

Amanhã ouvimos todos os comentários que nos chegaram esta semana sobre a falta de solidariedade, o tema proposto por Carla Hilário Quevedo e publicado aqui em parceria com o jornal Meia Hora.

 

Com Carla Hilário Quevedo e Betânia Valente

6ªf., 21 de Novembro- 10.35

 

Em discussão, na próxima semana, vão estar as claques de futebol. Para nos deixar a sua opinião basta escrever mais abaixo ou ligar para o 21.351.05.90 até às 16h da próxima 5ªf, 27 de Novembro.

 

Claques de futebol

Dois membros da claque do Benfica No Name Boys ficaram em prisão preventiva por suspeitas de tráfico de droga, posse de armas, agressões, fogo posto e actividade criminosa, elevando para seis o número de arguidos no mesmo processo. Segundo informa a PSP, a droga apreendida era utilizada para financiar as actividades deste grupo: para pagar os ingressos nos jogos e deslocações para acompanhar o clube de futebol. O conflito evidente neste caso parece acontecer entre mundos que julgávamos incompatíveis: crime e desporto. Mas todas as ideias bem-intencionadas a respeito da prática desportiva mantêm-se, creio eu, inalteradas. Afinal, torcer aos gritos pelos que competem no campo é uma actividade física bem diferente da praticada pelos jogadores de futebol. No entanto, adeptos violentos e claques com propósitos ilícitos são uma realidade comum ao futebol em particular. Por ser um desporto das massas é natural que se encontre de tudo nas claques, nomeadamente criminosos, ou é o próprio desporto que estimula uma versão deturpada da competição, que se assemelha mais a uma batalha do que a um jogo? Um membro de uma claque é um criminoso em potência? Ou todas as claques são organizações que incitam à violência e ao crime?

20
Nov08

Marginante

jazza-me

 

Na edição desta semana, o Marginante aproveita uma efeméride: o 1º aniversário do The Star Tracker (TST), rede mundial de talentos portugueses espalhados pelo mundo, é pretexto para a conversa com cinco dos seus quase 22 mil membros registados: Carlos Gonçalves, Fernando Fonseca, Filipe Nery, José Rodrigues e João Carvalho. Fomos procurar saber, no essencial, o que mudou na vida profissional destas pessoas, depois de se terem inscrito na rede Internet criada a 17 de Novembro de 2007 pela Quodis e pela Jason Associates.

Ainda em destaque duas iniciativas saídas da rede TST para a sociedade civil: a Confraria do Pastel de Nata e o movimento de solidariedade Xi-Coração.

Ouça os programas anteriores no podcast do Marginante, aqui ao lado.

 

Com Ricardo Belo de Morais

5ªf., 20 de Novembro- 19.15

19
Nov08

Ao vivo

jazza-me

      Filipe Melo                            Lee Morgan                                                        Till Brönner

 

Na agenda de concertos desta semana está a segunda parte do Guimarães Jazz 2008, que esta noite volta ao Centro Cultural Vila Flor com o 5teto do saxofonista Marcus Strickland. Aos 29 anos, o saxofonista tenor e soprano da Florida tocou já com Charles Tolliver, Nicholas Payton, Mos Def, Will Calhoun, Dave Douglas (Keystone) e Roy Haynes (Foutain of Youth) e integrou orquestras como a Mingus Big Band e a Lincoln Center Jazz Orchestra. Com 4 discos editados e uma editora própria, a Strick Musik, Marcus Strickland vem tocar com Jason Palmer (trompete), David Bryant (piano), Luques Curtis (contrabaixo) e John Davis (bateria). 4ªf, 19, às 22h.

A partir de amanhã e até sábado, como aconteceu na semana passada, o 5teto de Marcus Strickland apresenta-se nas jam sessions que ocupam, noite dentro, a Associação Cultural Convívio de Guimarães. De 5ªf, 20, até sábado, 22, às 24h. 

O primeiro concerto da noite, amanhã, na 17ª edição do Guimarães Jazz, pertence no entanto ao colectivo The Cookers, que presta tributo ao trompetista Lee Morgan, desaparecido prematuramente, em 1972, aos 33 anos de idade. Trompetista inventivo e virtuoso, gravou, na sua curta carreira, com os Jazz Messengers de Art Blakey, com John Coltrane em Blue Train e com a big band de Dizzy Gillespie, entre outras formações. Para a história do jazz ficou o célebre The Sidewinder (Blue Note, 1964) e a sua morte trágica- Morgan foi baleado pela namorada a meio de um concerto em N.Y. Do grupo que gravou The Sidewinder tocam amanhã Bennie Maupin (sax tenor) e Billy Harper (sax tenor), com

David Weiss (trompete), Craig Handy (sax alto), Larry Willis (piano), Cecil McBee (contrabaixo) e Billy Hart (bateria). 5ªf, 20, às 22h.

 

Esta noite, no Hot Clube, há jazz ao piano- instrumento em destaque ao longo de todo o mês de Novembro. A partir das 23h, o norte-americano Peter Rende, que participou em Timbuktu, de André Fernandes, toca em 4teto com João Moreira (trompete), Matt Pavolka (contrabaixo e baixo eléctrico) e André Sousa Machado (bateria). 4ªf, 19, na Praça da Alegria.

A partir de amanhã, no mesmo palco, toca o trio do pianista Filipe Melo, com Nelson Cascais (contrabaixo) e André Sousa Machado (bateria). O guitarrista Bruno Santos é convidado do trio para esta série de 3 concertos. Entre 5ªf, 20, e sábado, 22, às 23h, no Hot Clube.

O Chapitô, que programa concertos nos finais da semana, tem esta noite ao vivo o novo 4teto do trompetista alemão Johannes Krieger, fundador, com o trombonista Lars Arens, da Tora Tora Big Band. Em palco, com Krieger, vão estar o pianista e trombonista britânico Dan Hewson, Francesco Valente (baixo) e David Rodrigues (bateria). 4ªf, 19, às 22h, à Costa do Castelo.

A editora Creative Sources, criada pelo violinista Ernesto Rodrigues, celebra por estes dias 9 anos de existência e um catálogo impressionante, com centena e meia de edições dedicadas à música improvisada. Hoje e amanhã, na Associação Cultural O Século, na R. do Século, ouvem-se formações diversas: Paulo Raposo (electrónica) e João Silva (sino tibetano e taça de cristal), Carlos Zíngaro (violino) e Ulrich Mitzlaff (violoncelo), Nuno Torres (sax alto), Guilherme Rodrigues (violoncelo) e Carlos Santos (electrónica), Rodrigo Amado (sax tenor), Miguel Mira (violoncelo) e Gabriel Ferrandini (bateria). 4ªf, 19, a partir das 22.30.

Amanhã O Século recebe o flautista Nobuyasu Furuya, a solo, Ernesto Rodrigues (viola), Manuel Mota (guitarra eléctrica) e José Oliveira (percussão), Nuno Morão (percussão electrónica) e Miguel Cabral (percussão), Alípio Carvalho Neto (saxofones) e Rachele Gigli (electrónica) e Sei Miguel (trompete de bolso), com Fala Mariam (trombone alto) e César Burago (percussão). 5ªf, 20, a partir das 22.30.

A norte, a noite é com um trio clássico no jazz- piano, contrabaixo e bateria- e as composições do israelita Yaron Herman, prémio revelação nos franceses Victoires du Jazz 2008, em Setembro passado. Yaron Herman estudou piano na Berklee College of Music (Boston), depois em Paris, e gravou em 2007 o seu terceiro disco, mas o primeiro em trio: A Time for Everything, com o baterista Gerald Cleaver e o jovem contrabaixista Matt Brewer. Esta noite, na Casa da Música do Porto, e na 6ªf, 21, no CCB, às 21h, o pianista-sensação apresenta temas do seu último disco- que inclui versões de Bjork, Leonard Cohen e Britney Spears- e de um novo disco, a ser lançado em 2009, com Matt Brewer (contrabaixo) e Thomas Crane (bateria).

Finalmente, três concertos marcados para amanhã: no Teatro Aveirense juntam-se 3 pianistas para uma noite de música improvisada: Mário Laginha, Júlio Resende e Luís Figueiredo, esta 5ªf, 20, às 21.30; em Lisboa, a Livraria Trama comemora um ano de existência (e boas propostas) com um concerto solo de Carlos Barretto- amanhã, 5ªf, às 21.30- que assinala também a inauguração de uma mostra de pintura do contrabaixista, patente na Trama, ao Rato, até 4 de Dezembro; e no Onda Jazz, o trompetista, cantor e produtor alemão Till Brönner apresenta o seu novo disco, Rio, gravado com Aimee Mann, Melody Gardot, Kurt Elling, Sérgio Mendes e Luciana Souza, entre outros, num concerto em 6teto com Dieter Ilg (contrabaixo), Johan Leijonhufvud (guitarra), Daniel Karlsson (piano), Wolfgang Haffner (bateria) e Roland Peil (percussões). A convidada especial é Maria João. 5ªf, 20, às 23h, em Alfama.

19
Nov08

Na Outra Margem

jazza-me

     Nicholas McNair

 

Hamlet, o CD com a música original composta por Nicholas McNair para a produção homónima do Teatro Instável, é o mais recente registo discográfico do pianista e professor, radicado em Portugal desde 1980, e o ponto de partida para uma conversa com vários tópicos: a improvisação/ composição em tempo real, o trabalho conjunto com outras artes, a intensa actividade como correpetidor são apenas alguns. 

A fechar, uma breve antevisão do Colóquio Internacional António Fragoso e o seu tempo, na próxima 6ªf, 21 de Novembro, no Pequeno Auditório da Culturgest.

 

Com Manuela Paraíso

4ªf., 19 de Novembro- 18h 

18
Nov08

Europa Entrevista

jazza-me


 

O grupo parlamentar do Partido Socialista pediu aos investigadores André Freire, Manuel Meirinho e Diogo Moreira um estudo para mudar o sistema eleitoral e garantir maior participação dos eleitores no processo. O resultado foi publicado em livro: Para uma Melhoria da Representação Política- A Reforma do Sistema Eleitoral (Sextante).

André Freire, um dos autores, vem ao Europa Entrevista falar das propostas que faz.

O Europa Entrevista está disponível, em podcast, aqui ao lado.

 

Com Mónica Peixoto

3ªf., 18 de Novembro- 18h

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Emissão online:

clique para ouvir a emissão da europa




Rádio Europa Lisboa
Rua Latino Coelho, 50 - 1º
1050-137 Lisboa, Portugal
Tel.: 21 351 05 80

Email   Estamos no Facebook   Siga-nos no Twitter

Arquivo

  1. 2011
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2010
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2009
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2008
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2007
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2006
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D