Comentários:
De Helena Miranda a 29 de Maio de 2010 às 13:01
Por um lado acho bem feito. Um adolescente que é adolescente, tem de aprender a dominar-se. Se vai para a rua gritar sempre que bebe uma cerveja com groselha e tira uma foto para pôr no facebook, acaba por ser o alvo das atenções dos adultos por dá cá aquela palha. No entanto, assim à partida, prender uma galinha numa jaula pequena não é boa ideia, porque vai contra o comportamento espalhafatoso da galinha e ela pode magoar-se a tentar libertar-se, ou pode resignar-se e ficar amorfa.
Felizmente há ainda muitos adolescentes razoáveis que se comportam normalmente (bebem quando bem lhes apetece e isso não significa beber muito, porque beber muito significa exactamente fazer merda e ter de dar satisfações aos adultos, obrigando-os a reagir com leis tolas como essa do álcool aos 18 anos).
Ou seja, o facto de os jovens beberem quando são ainda muito jovens pode ser perigoso, mas não é certamente uma novidade.
Hoje em dia, os adolescentes gostam de mostrar os excessos em ambientes mainstream, o que os torna mais infantis, histéricos, perigosos e desinteressantemente "populares". Isso sim, é uma novidade: Ir para as redes sociais mostrar os excessos, fazer excessos para mostrar os excessos....etc.


De Ana Luisa a 31 de Maio de 2010 às 11:47
Os mais novos também têm de ser incentivados apara terem melhores comportamentos. se os pais deixam adolescentes irem sozinhos para as discotecass aos 12 ou 13 anos, admiram-swe quwe eles bebam? parece-vos essa uma boa idade para um jovem sair à noite? Começa assim e depois acaba descontrolado, ou pode acabar sem controlo. Os mais novos também têm de ser educados para a responsabilidade dos seus actos; claro que de vez em quando cometem excessos, mas tam de ser só de vez em quando e não pode ser para se exporem desta forma.
O alcool não devia nunca ser vendido a menores de 16 anos, se esse cuidado de facto existisse, se um ocmerciante perdesse a licença ao vender alcool a um menor a coisa não se passava com a facilidade que conhecemos.


De João Afonso a 31 de Maio de 2010 às 11:53
Não passa tudo pela proibição de maneira nenhuma.
As leis que proibem a venda de alcool a menores de 16 anos são cumpridas? alguém verifica isso?
O que acontece a quem lhes vende o alcool?
De resto o problema resulta também da grande solidão em termos de crescimento a que estes jovens estão sujeitos, pais ausentes, sem tempo e a crescer só com um aparelho de televisão não dá, não pode dar, grande resultado. Em primeito lugar é a sociedade civil, os pais, a família que têm de se preocupar e retomar as rédeas das coisas; ninguém cresce bem e saudável sozinho, e começamos apenas agora e ver os primeiro efeitos disso mesmo; continuemos assim e não iremos longe...


De Manuela Jesus a 1 de Junho de 2010 às 15:47
Tenho 18 anos e não bebo álcool porque acho amargo o sabor, mas não tenho nada contra o seu consumo moderado, porque desinibe e torna mais fácil a sociabilização para os tímidos. Alguns amigos meus bebem e em algumas situações nem sempre se souberam moderar. Este ano vamos todos para a faculdade. Não consigo ver a grande diferença entre o nosso comportamento e o dos nossos pais.


Comentar post