Comentários:
De Maria Florida a 5 de Junho de 2010 às 12:14
A mim o que me choca é ver as caras dos actores... que raio, a Bruni, o Cage, o Rourke e os outros em que se nota menos o bisturi, havia necessidade? não há guiões depois dos 50? talvez não. a vida é dura. que fazer a tanto dinheiro depois dos carros, das piscinas, das viagens, das mansões, amantes, caprichos, desvarios... os ginásiso são uma opção mais em conta, mas é melhor ter cuidados. conheço pessoas que ficaram com lesões graves e tiveram que ir para a mesa de operações e não foi para ficarem mais compostas, é porque os joelhos estavam escaqueirados, as costas empanadas, etc e tal. faça do ginásio um amigo, já que o mundo exige de si uma bela imagem. era o meu conselho. cumprimentos.


De Amigo do FRed a 6 de Junho de 2010 às 21:53
Já dizia o meu amigo Fred "Inverno de trabalho, Verão do caralho! Inverno preguiçoso, Verão desastroso".

Escusado será dizer que o trabalho a que o Fred se refere não é aquele que se faz num escritório, mas sim no ginásio.

Acho muito bem que as pessoas se cuidem mais, a preparar o Verão. Ainda hoje estive na praia e vi uma gorda de fio-dental. Quer dizer, ela era tão gorda que parecia fio-dental. Num dia tão bonito, cheio de sol, a beber uma ganda coca-cola (zero, claro) com gelo e limao, a última coisa que apete é ter uma visão daquelas.

Eu quero cá saber de nadador salvador, quero é cabos do mar a impedirem estas visões malévolas.


De Diogo Pavia a 9 de Junho de 2010 às 09:54
Para começar, uma ideia utopica. O estado português deveria patrocinar a manutenção dos corpos e rostos portugueses. Não é defendido por tantos e com razão, que o turismo é a salvação da pátria? Pois bem, ter monumentos para visitar e urbanismo arrojado ajuda, mas ter caras e corpos bonitos pelas ruas ou no metro também pode ser uma via interessante.
Falando mais a sério, e no caso das mais recentes tendencias de vaidade masculina, isso acontece por evidente pressão feminina. Elas já não se inibem de mesmo a lado do companheiro, virar a cabeça na praia para apreciar aquele rapaz que ou exibe uma tablete de chocolate na barriga ou que mal consegue fechar o braços de tanto músculo, e sempre, mas sempre sem penugens visíveis. Elas sim, influenciadas pela moda e pelos tentáculos dos marketing de imagem, transferem essas pressões para eles. Em suma, temos a mulher actual a vingar a passividade das gerações femeninas anteriores. Não se inibem de comentar um bom rabo, e fazem questão em fazer experimentar ao parceiro o que é a dor da depilação.


De Mabel a 9 de Junho de 2010 às 14:09
Curioso, caro Diogo Pavia. Eu vejo as coisas de outra forma:
Este stress actual dos homens em quererem ficar parecidos com as mulheres tem que ver com o facto de se sentirem ameaçados, sim. Mas não pelo vizinho do lado. A ameaça vem das próprias mulheres e relaciona-se com dinheiro e poder, como sempre. Senão vejamos: ao longo dos últimos anos o sexo feminino têm vindo a alcançar, no mercado de trabalho, por mérito próprio e inteligência, uma posição mais confortável. Cargos superiores anteriormente reservados aos homens deixaram de existir, na sua maioria. Prevê-se que, num futuro próximo, os cargos superiores sejam quase todos entregues a mulheres, porque o número de alunas nas faculdades é muito superior ao de alunos. Face a esta nova realidade, os homens mais "dah" começaram a engendrar, nas proto-cabecinhas que Deus lhes deu, um contra-ataque. E o contra-ataque foi invadir o espaço feminino da beleza, com a brutalidade típica das naturezas inferiores, como quem diz: "isto agora é tudo nosso". Resultado: homens depilados que parecem estar constantemente a cantar o "In the Navy". Obrigadinha, pela parte que nos toca. Isto realmente.
http://www.youtube.com/watch?v=MTwq1_9VH68


Comentar post