Sexta-feira, 7 de Janeiro de 2011
Rádio Blogue: poupança à portuguesa

 

No regresso do Rádio Blogue, neste início de ano, queremos saber o que pensa das poupanças dos portugueses. Os portugueses não poupam porque não têm dinheiro ou por não terem hábitos de poupança? Não gastar é bom para o país? Não era a despesa que estimulava a economia?

O texto é assinado por Carla Hilário Quevedo e publicado aqui em parceria com o jornal Metro. Deixe o seu comentário, se preferir, através do 21. 351. 05. 90 até às 15h da próxima 5ªf.

 

Poupança à portuguesa

As notícias sobre a relação instável dos portugueses com a poupança são muito confusas. Por exemplo, em Novembro, os dados do estudo Basef Banca da Marktest indicavam um aumento da percentagem da população que dizia destinar uma parte maior do seu rendimento à poupança. Mas em Dezembro, apenas um mês depois, tínhamos a notícia da confirmação do contrário: a taxa de poupança dos portugueses no último trimestre de 2010 foi a mais baixa dos últimos dois anos. Em que é que ficamos? Talvez no de sempre: quem tem dinheiro, poupa. Quem não tem, não pode poupar por muito que o queira fazer. Mas o problema aumenta quando se contraem dívidas com a expectativa de uma poupança por antecipação. Parece confuso mas a explicação é simples. A compra de produtos a um preço que parece menor quando comparado com o anunciado num futuro próximo é vista como uma oportunidade. Compre mais barato agora o que será mais caro daqui a dias. A corrida às lojas antes de 1 de Janeiro por causa dos saldos e do aumento do IVA é um exemplo desta ideia de poupança por antecipação. Outro é a compra desenfreada de carros antes de o ano acabar. O fim do incentivo ao abate de automóveis em fim de vida, o aumento do Imposto sobre Veículos e o do IVA para 23 por cento foram motivos mais que suficientes para gastar dinheiro. A solução de poupança no fim de ano lembra os descontos espectaculares de sete euros em compras de setenta: só tem de gastar 63… Os portugueses não poupam porque não têm dinheiro ou por não terem hábitos de poupança? Não gastar é bom para o país? Não era a despesa que estimulava a economia?



publicado por jazza-me
link do post | comentar

Comentários:
De Leonor Santos a 9 de Janeiro de 2011 às 02:37
Os portugueses não têm dinheiro para poupar mas, pior do que isso, penso que por vezes nos domina aquele provérbio autodestrutivo ("perdido por 100, perdido por 1000"), que em ocasiões como a que vivemos, pode influenciar negativamente os menos disciplinados e mais levianos. Não temos muitos hábitos de poupança porque não somos um país rico mas, por isso mesmo, temos de ser duplamente vigilantes em relação aos nossos comportamentos de consumo, dado que sem poupança não haverá como cobrir eventuais derrapagens derivadas de riscos (como esse da poupança por antecipação).


De Nuno Silva a 10 de Janeiro de 2011 às 11:35
Economia é produção. A despesa/procura estimula a produção apenas no curto prazo. Mas não no médio e longo prazo. O que define a produção no médio e longo prazo é o investimento de «hoje» e a qualidade/capacidade dos recursos humanos de «amanhã» para transformar esse investimento em produção. E o investimento de hoje é directamente dependente da poupança de hoje. A poupança necessária ao investimento pode ter origem na poupança interna, dos portugueses, ou na poupança externa, dos estrangeiros. A nossa poupança tem vários nomes: depósitos, títulos do tesouro etc. A poupança estrangeira tem um nome: dívida externa. A nossa dívida externa exorbitou todos os limites do razoável, do possível. Por aí não podemos ir. Conclusão: ou há poupança interna ou não há futuro para nós. Em Portugal, hoje, a escolha entre a despesa e a poupança é a escolha entre o presente e o futuro.


De Maria Cadete a 11 de Janeiro de 2011 às 22:14
Com sinais e recomendações tão contraditórios, não posso falar pelos portugueses até porque não sei quem são em concreto, mas o que me parece é que farão como eu faço, ou seja: o que, apetecendo-me, possa e consiga fazer.
Uma coisa posso assegurar, não me apetece nunca pagar para produtos promovidos por entidades privadas cujo objectivo primordial é o seu próprio lucro, ou seja, seguros e poupanças. Considero o meu dinheiro muito mais bem gasto pagando impostos e descontando para a segurança social (não é ironia).É que ao menos desse dinheiro, podemos ver os resultados pois temos estradas, temos sistema nacional de saúde, temos assistência no desemprego, temos sistema de reformas. Todos os dias e no dia-a-dia podemos comprovar que há alguém a usufruir desse dinheiro. Quanto aos produtos que referi, são sempre objecto de condições inextrincáveis que nunca sabemos se, quando precisarmos de facto, estarão todas cumpridas.
Só me chateia quando sei que há um qualquer senhor que recebe balúrdios desse dinheiro público porque veio de um banco para gerir as finanças. Não me chateia nada quando ouço dizer que há muitas pessoas a receber subsídio de desemprego ou rendimento mínimo garantido e que, eventualmente não o merecem. Chateia-me também quando ouço as pessoas a desejarem pagar menos impostos ou menos segurança social preferindo pagar para esquemas privados de saúde ou poupança. Chateia-me também ouvir que o governo quer reduzir as pessoas que o estado emprega em vez de tentar fazer mais com elas e com o dinheiro que recebe.


Comentar post


Rádio Blog
Carla Hilário Quevedo
Metro - Rádio Europa Lisboa
Tema da semana: Rádio Blogue.
Comente aqui ou em 21 351 05 90.
A sua voz vai para o ar :
6ª feira, 11h35/17h40
Domingo, 18h35






Rádio Europa Lisboa
Rua Latino Coelho, 50 - 1º
1050-137 Lisboa, Portugal
Tel.: 21 351 05 80

Email   Estamos no Facebook   Siga-nos no Twitter
Emissão online:

clique para ouvir a emissão da europa


Rádio Blog
Carla Hilário Quevedo
Metro - Rádio Europa Lisboa
Tema da semana: Rádio Blogue.
Comente aqui ou em 21 351 05 90.
A sua voz vai para o ar :
6ª feira, 11h35/17h40
Domingo, 18h35



POSTS RECENTES

A História de... José Man...

Rádio Europa Lisboa

A História de... Miguel P...

Funchal Jazz 2011: 7 a 9 ...

Diogo Vida no Braço de Pr...

Internacional Europa

RFI: emissões em 90.4 fm

JIGG 2011: Jazz im Goethe...

A História de... Vital Mo...

Cool Jazz Fest 2011, 4 a ...

Bobby McFerrin leva VOCAb...

Série aTensãoJAZZ chega a...

ARQUIVOS
TAGS

todas as tags

blogs SAPO
SUBSCREVER FEEDS